domingo, 6 de julho de 2014

Livro Tempo de Vida. - Marcos Giralt Torrent - Teodolito

No próximo dia 7 de Junho, estará em Lisboa, para participar na Noite da Literatura Europeia, um velho amigo da Teodolito, que vem dos tempos em que o editor Carlos da Veiga Ferreira era o respinsável único pela Teorema, Marcos Giralt Torrente.
A sessão de Marcos Giralt terá lugar no Pavilhão Chinês, rua D. Pedro V, 89/91, Lisboa.
Na mesma altura, será lançado o seu último livro, Tempo de Vida.


MARCOS GIRALT TORRENTE
Marcos Giralt Torrente (Madrid, 1968) é autor dos romances París (Prémio Herralde de Novela) e Los seres felices, ambos merecedores de um excelente acolhimento crítico, e dos volumes de narrativas Entiéndame, que foi a sua celebrada estreia literária, Nada sucede solo (Prémio Furest i Roca) e Cuentos vagos. Traduzido para alemão, francês, italiano e português, viveu grandes temporadas no estrangeiro, convidado por prestigiadas instituições europeias como a Santa Magdalena Foundation ou o Berlin Artists-in-Residence Programme.
Sinopes e Citações de Imprensa e Outros
Toda a narração, inclusive a que pretende imitar a vida, é uma ficção. Um artifício. O escritor sai ao mundo e o que nos devolve é uma visão da vida, não a vida. Partindo desta premissa, Marcos Giralt Torrente enfrenta neste relato íntimo um tema universal: a morte do pai. A partir da dor pela perda, reconstrói a sua relação com o pai, o tempo de vida que com ele partilhou, com um assombroso afã de fidelidade. Sem iludir as zonas de penumbra mas sem se recrear nelas, tratando com equilíbrio qualquer excesso. Dessa forma, com a ajuda de uma prosa hipnótica e concisa, a sua experiência própria transforma-se em experiência de todos.
O resultado é um livro absolutamente comovedor, que simultaneamente abraça e fere. Não uma homenagem nem um ajuste de contas. Uma tentativa de compreender a relação mais complexa que entre duas pessoas cabe. O retrato de um pai e um filho. Um inventário de vida em que quase nada se cala e em que, por isso, a vida aparece tal como é: com as suas tristezas e encruzilhadas, mas também com as suas descobertas maravilhosas.
Um livro excelente, uma grande lição de vida.
Anna Caballé, ABC
Um livro que merece durar, permanecer como referência no género memorialístico.
Luis Matías López, Público
Surpreendente e interessantíssima ficção sem invenção.
Enrique Vila-Matas
Tempo de vida é uma obra muito sofisticada, muito literária. De uma sinceridade pouco comum. Um texto, em certa medida, redentor.
Rosa Montero
Um sintoma de que algo pode estar a mudar na narrativa espanhola.
Iñaki Ezkerra, El Correo Vasco