quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Teoria dos Limites | Maria Manuel Viana | Teodolito


A  realidade  é  muito  mais  inverosímil  do  que  a  ficção,  diz,  a  certa altura,  uma  das  personagens deste  romance.

O  aqui  narrado  parte  da concepção fantasmática de um génio, uma espécie de mundo de ficção científica, com  dois  universos  paralelos  habitados  por  mónadas,  essas substâncias  simples, esses  pontos metafísicos,  essas  individualizações infinitamente  pequenas,  como  quartos  sem  portas nem  janelas dentro de  uma  pirâmide  cuja  base  tenderia  ao  infinito,  onde  bastaria  uma ínfima  coisa para  passar de uma  realidade para outra,  e onde cada um de  nós  vê  o  seu  duplo  e  pode  escolher entre  ser  herói  ou banal,  amar ou resignar-se, sentir prazer ou raiva com a felicidade alheia, lutar pela liberdade  ou  jogar  as regras  do  jogo,  viver  com  dignidade  ou  ser passivo,  aceitar  a  ignomínia  ou revoltar-se,  julgar  o outro  pondo-se  no lugar  dele,  adoptar  muitas  perspectivas  para  perceber  o todo, perguntar-se em que é que a ficção supera a realidade, se na beleza ou na  construção  não  tão utópica  quanto  poderia  parecer do  melhor  dos mundos possíveis.



SOBRE A AUTORA 

Maria Manuel Viana nasceu na Figueira da Foz, em 1955, onde estudou até entrar para a Faculdade de Letras da Universidade de  Coimbra.  Durante  os  cinco  anos  em  que  tirou  Filologia  Românica,  deu aulas  à  noite  na  Escola  Bernardino  Machado,  na Figueira da Foz. 

Em 1979, enganou--se a preencher o boletim de concurso de professores e foi colocada em Castelo Branco, cidade  que  adoptaria  como  sua  e onde  viveu  durante  mais  de  20  anos. Aí  nasceram  os seus  dois  filhos,  David  e  Manuel,  e também aí  foi  coordenadora  do  Centro  de  Área  Educa­tiva, presidente  da  Comissão  Distrital  de  Proteção de menores, candidata a deputada pelo Partido Socialista, vereadora da cultura e coordenadora do Gabinete para a Igualdade.

Escreveu os romances  A  Paixão de  ana  b.,  A  Dupla Vida  de  M.ª  João,  Damas, Ases e  Valetes (com Ana  Benavente),  O  Verão  de todos  os silêncios. Traduziu os dois últimos Prémios Nacionais da Crítica de Espanha,  O dia de amanhãde Ignacio Martínez de Pisón e A filha do Leste, de Clara Usón.


ANO DE EDIÇÃO: 2014

NÚMERO PÁGINAS:164

COLECÇÃO: Teodolito

FORMATO: 16,5 X 23,5 cm

ENCADERNAÇÃO: brochada

ISBN: 9789898580191

PVP C/ IVA:13,00 Euros